EU AMO PAU

Você já esteve obcecado por alguém? Obcecado como esse alguém anda, olha ou gesticula? Alguém que faz você pensar em algumas coisas que se outros pudessem ler seu pensamento, ficariam assustados? Pois bem, obsessão é a compulsão; necessidade intensa para fazer algo ilógico ou insensato, quem nunca passou por isso? E foi isso que me chamou atenção na série I Love Dick da Amazon Prime.

Baseado no livro da feminista (ponto importante, pois isso tem relação direta com os personagens e a trama) Chris Kraus, com a Amazon Prime produzindo a série. Fui pego desprevenido, confesso. Depois de terminar um episódio de American Gods, vi ao lado o banner para a série. Nome que já chama atenção, porque, para quem não sabe, I Love Dick significa Eu Amo Dick (nome próprio), mas DICK em inglês também pode significar pau, pinto, pênis, jiromba, como queiram chamar. Levado pela curiosidade do nome da série, cai na armadilha, quando vi já estava no quarto episódio. Atraído pelo interessantíssimo modo de storytelling que a série trás, e pela ambientação, vi uma série bem diferente do que temos hoje em dia.

Um breve resumo para os interessados, a série traz a história de um casal, Chris e Sylvere, que estão se mudando para uma cidadezinha no Texas, chamada Mafra. Sylvere, o marido, ganhou uma bolsa para estudar em um instituto de um grande artista, o Dick (interpretado por nosso querido Kevin Bacon). Chris sua esposa, uma cineasta, desenvolve então uma obsessão por Dick logo no primeiro olhar, a partir daí, novos personagens entram em cena, e a trama vai se desenvolvendo.

Texto_imagens2

A história é narrada em primeira pessoa, mas às vezes se utiliza do estilo “Rashomon” que mostra a perspectiva de diferentes personagens sobre um mesmo evento. Como uma movimentação de câmera mais intimista, e uma ambientação que mistura modernidade com um visual interiorano do Texas, onde os personagens mais parecem aqueles hipsters de Nova York vivendo num paraíso country. A série já me conquistou pela estética bem diferente, e pelos personagens que flutuam entre originalidade e estereótipos.

Há também uma grande conexão com a arte, onde a série explora diferentes formas de expressões artísticas através de seus personagens e através dessas expressões podemos conhecer mais sobre a personalidade de cada um. Essa dinâmica, por exemplo, é muito bem feita com as personagens Devon (Roberta Colindrez) e Toby (India Menuez), onde através do processo criativo delas, conseguimos conhecer-las mais profundamente. Isso trouxe a série uma peculiaridade bem interessante.

Texto_imagens1

Outro fator da série, são os muitos momentos onde os personagens são colocados em situações bem engraçadas. Os momentos que me conquistaram foram em que a personagem principal, Chris, no auge de sua paixão obsessiva pelo Dick não consegue nem conversar direito com ele, lhe faltam palavras para a explosão de sentimentos. Achei bem humano isso, e me remeteu as muitas vezes que tentei conversar com umas garotas mas nada saia de minha boca, esse sentimento foi muito bem dramatizado na série.

I Love Dick é uma série de comédia, mais com um drama bem diferente. Trazendo uma outra perspectiva sobre outras facetas dos relacionamentos, desejos e obsessões, estamos diante de ótimos personagens e uma trama bem divertida.

Estou dando uma chance as séries exclusivas da Amazon, e estou amando. Elas me tem trazido experiências bem legais e diferentes! Experimentem, deem uma chance ao piloto de I Love Dick e vejam se vocês também amam Pau. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s